v. 21 n. 1 jan-Jun: A Corte no Brasil
A Corte no Brasil
“É como se a mãe-pátria pretendesse vincar fundamente de sua presença atuante uma terra que logo depois terá de abandonar à sua sorte. Com efeito, 1821, que representa o terminus ad quem desta pesquisa, ainda é nitidamente, no Brasil, um ano português, assim como 1822 já é em todos os sentidos o ano brasileiro, se aceitarmos conhecida observação de Oliveira Lima”. Contradições do que seria uma descolonização conduzida por portugueses europeus, nas palavras de Sérgio Buarque de Holanda, qualificam esse tempo joanino no prefácio a Cultura e sociedade no Rio de Janeiro (1808- 1821), de Maria Beatriz Nizza da Silva. A professora é a entrevistada deste número e responde sobre o significado da chegada da Corte para o Rio de Janeiro e para as capitanias, os efeitos em Portugal e as perspectivas historio-gráficas sobre o tema.